SampaArt
Galeria Virtual - SampaArt
Busca
Saiba Mais
Veja Também
História da Bahia



 Bahia quer dizer fascínio e magnetismo. Um lugar paradisíaco, tropical, dos mais belos ao Sul do Equador, que oferece um sem número de opções de passeios de todos os tipos, tornando sempre irresistível ficar um pouco mais de tempo na Terra da Felicidade, como é conhecida.

Nesses cenários deslumbrantes floresceu, desde os idos de 1500 - quando a esquadra do almirante português Pedro Álvares Cabral aportou no Sul da Bahia -, uma riquíssima cultura, mesclando vivências do branco europeu com a pureza selvagem do amarelo indígena e, logo em seguida, com o negro trazido da África. Hoje, essa terra de gente morena é um pólo de efervescência cultural que se destaca no cenário brasileiro e é reconhecido a nível internacional. Na música, na dança, na literatura, no cinema, nas artes plásticas, no folclore e no rico e variadíssimo artesanato.

Na música o marco principal do seu destaque, e exemplo dessa riqueza cultural, está no samba, que nasceu na Bahia, daí sendo difundido por todo o Brasil. O toque da percussão evoluiu ao longo do tempo, chegando à bossa-nova de João Gilberto; à Tropicália de Caetano Veloso e Gilberto Gil, Maria Betânia e Gal Costa; ao ritmo quente do grupo afro Olodum, que já gravou com Paul Simon e Michael Jackson; à batida original da Timbalada, que gravou com o grupo de rock Sepultura, projetando a musicalidade baiana muito além de suas fronteiras, assim como o Araketu, o Ilê Ayê... Sem esquecer dos Trios Elétricos que têm o poder de lançar, a cada ano, novos talentos, danças e ritmos.

Na dança, a Bahia mostrou ao mundo a lambada, mas ganham espaço também, a cada dia, seus corpos de balé clássico, moderno e folclórico, que se apresentam em todos os continentes.

Na literatura, os exemplos mais consagrados vão de Afrânio Peixoto e Castro Alves aos contemporâneos, Dias Gomes, João Ubaldo Ribeiro e Jorge Amado que, com obras traduzidas em várias línguas, transportaram a cultura e o povo baiano para outras nações.

No cinema, revelou-se o talento de Glauber Rocha, criador do Cinema Novo, árduo defensor e executor do cinema político. Foi um Cineasta diversas vezes premiado no Brasil, Europa e Estados Unidos.

Nas artes plásticas, mostra sua força através das esculturas de Mário Cravo e Tati Moreno, das gravuras de Calasans Neto e da pintura de Carlos Bastos, entre tantos outros, incluindo os primitivos.Há também os baianos "de coração", como Pierre Verger, Hansen Bahia e Carybé.

No seu artesanato, oferece souvenirs de baixo custo e alta criatividade, em cerâmica, pedras ornamentais, palha, couro, bordados, prata, madeira e instrumentos musicais típicos.

Em seus museus e palácios, de excelência arquitetônica, peças de grande valor contam como era a vida nos tempos de colônia e do império. Suas centenas de igrejas católicas, em arquitetura colonial barroca e rococó dos séculos 16, 17 e 18, abrigam relíquias em imagens sacras seculares e livros raros e centenários.

A cultura africana enriquece ainda mais o exotismo e a magia que a Bahia exibe com orgulho ao mundo. Ela transpira através da música bem ritmada, da culinária picante, da religião - o Candomblé -, da dança sinuosa e sensual, das roupas e turbantes multicoloridos, e do jeito alegre e irreverente do povo, com sua hospitalidade sem igual. Dezenas de manifestações folclóricas, de origem também nas culturas européia e indígena, compõem um mosaico que encanta e magnetiza o turista de todas as partes.

A culinária baiana - mescla harmônica das tradições portuguesa, africana e indígena - é inigualável. Na Bahia, o lanche pode ser um acarajé ou um abará (elaborados com feijão fradinho), seguido de um bolinho de tapioca ou uma cocada. Como prato principal, um vatapá, um caruru, uma moqueca de peixe ou de frutos-do-mar, com azeite de dendê e pimenta (opcional). Para variar, as especialidades de cada região, como as carnes de sol ou de fumeiro, o bode assado, o surubim defumado, a maniçoba ou o efó. De sobremesa, deliciosas cocadas, quindins e as lusitanas ambrosia ou baba-de-moça, à base de ovos.

Pontos Turísticos:

Ao Norte, está a Costa dos Coqueiros, onde estão destinos como a Praia do Forte, um refúgio ecológico, e Costa do Sauípe, o maior Complexo Turístico da América Latina. A Praia do Forte está a 50km e Sauípe a 70km do Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães, em Salvador. Ficam à margem da Linha Verde, com seus quase 200 quilômetros de praias e coqueirais. Em Praia do Forte estão as ruínas do Castelo Garcia d'Ávila e a sede nacional do Projeto Tamar, de preservação das tartarugas marinhas.

Na Baía de Todos os Santos estão Salvador e Itaparica. A capital, principal destino turístico baiano, possui a maior variedade de atrações, com destaque para as manifestações da cultura afrobaiana, a arquitetura colonial e o apelo das praias voltadas para o Oceano Atlântico ou para o interior da baía. Já Itaparica, maior ilha da baía, abriga o Club Mediterranée.

Ao Sul, na seqüência, a partir de Salvador, estão de braços abertos aos visitantes: a Costa do Dendê, cujo destaque é o Morro de São Paulo, paraíso tropical descoberto pelos hippies e hoje, cercado por uma aura de sofisticação. Possui 40km de praias, algumas ainda desertas e atrações históricas, como a Fortaleza de Morro de São Paulo; a Costa do Cacau, é lá onde fica Ilhéus e Comandatuba. Cenário dos romances de Jorge Amado, Ilhéus reúne dezenas de quilômetros de praias, reservas de Mata Atlântica e a Estância Hidromineral de Olivença. A ilha de Comandatuba abriga um dos maiores resorts da América do Sul, o Transamérica, que possui aeroporto com capacidade para aviões de grande porte; a Costa do Descobrimento, onde chegou a esquadra de Cabral, descobridora do Brasil, guardando essa história e muitas belezas naturais em reservas de Mata Atlântica e praias de sonho. Ela reúne produtos que estão sempre na moda: Porto Seguro está entre os principais destinos exclusivamente turísticos do Brasil; é o maior pólo de turismo de lazer do Nordeste. As badaladas vilas de Trancoso e Arraial d'Ajuda agora têm todo o seu charme mais ao alcance dos visitantes, com a construção de vias pavimentadas de acesso; e a Costa das Baleias, onde as vastas extensões de praia de Alcobaça ou Caravelas valem uma temporada. O grande programa, entretanto, é mergulhar no Parque Nacional Marinho de Abrolhos, onde fica o parcel de Paredes, formação de corais com 50km². Corais exóticos, peixes multicoloridos, aves marinhas e enormes baleias Jubarte são atrações imperdíveis. Prado, mais ao sul, tem praias recortadas por falésias.

Percorrendo toda a extensão que compreende a Baía de Todos os Santos até a Costa do Dendê, o mais novo produto turístico, Caminhos das Águas, compreende atrativos como turismo náutico, contemplativo, histórico-cultural, gastronômico, pesca esportiva e mergulho. Com uma infra-estrutura em franco crescimento, este produto é o justo caminho para o fortalecimento da conservação ambiental e desenvolvimento econômico das regiões compreendidas no circuito."

Na direção Oeste, temos o mais diferenciado destino turístico baiano, que é Lençóis, porta de entrada da Chapada Diamantina, uma região própria para o turismo ecológico e de aventura, junto com os municípios de Andaraí e Mucugê. A cidade é dotada de boa infraestrutura hoteleira e serve de base para a exploração do belíssimo território da Chapada, formado por morros e montanhas, rios, corredeiras, cavernas, cachoeiras, flores exóticas e velhas cidades do tempo dos garimpos.

Fonte: Bahia Tur Sa

Conteúdos relacionados:

Veja a Galeria de Imagens | História da Bahia | Salvador | Praia do Forte

Google
© 2010 SampaArt