Destaques

Dos prováveis candidatos à presidência da república em 2018. Qual é o de sua preferência?

História do Rio Tamanduateí

Tamanduateí, em tupi, quer dizer "rio de muitas voltas". O curso original do rio Tamanduateí explica esse nome. Onde atualmente se encontram a avenida São João e o vale do Anhangabaú, por exemplo, o Tamanduateí fazia uma curva de sete voltas antes de se encontrar com o seu afluente mais importante, o Anhangabaú (o rio do mau espírito).

O rio Tamanduateí nasce na Serra do Mar e desagua no Tietê. Sua bacia hidrográfica possui 320 km2.

Seu principal afluente era o Rio Anhangabaú. Esses rios jazem hoje sob a cidade junto com a cultura indígena que os denominou. Não que fosse possível urbanizar São Paulo sem interferir na sua rede hidrográfica. Mas outras vias de interferência eram possíveis e talvez até mais plausíveis.

O Tamanduateí parece comportar-se de forma rebelde contra a concepção de progresso que o transformou num bueiro a céu aberto, depósito de todo o lixo social em perímetro urbano. Canalizado e poluído ele corre com maior velocidade procurando o rio Tietê para desaguar. Sem ter por onde se espraiar, sem encontrar os remansos que continham sua ânsia de desembocar, ele enche e invade impiedosamente a avenida do Estado que corre ao seu lado.

Como um muro aquático, o rio Tamanduateí cravou uma fratura no território da cidade. O Tamanduateí criou hiatos na comunicação entre o leste e o oeste, sulcando a descontinuidade entre a planície da zona leste e a colina histórica, no centro velho da cidade, onde os jesuítas construíram a primeira capela, rezaram a primeira missa e fundaram a vila de Piratininga, marco inaugural de São Paulo.

Até o início da construção do metrô, nos anos 70, desenhou a topografia do poder: a riqueza nas terras altas e a miséria nas baixas. No lado oeste, numa colina triangular, concentrava-se a cidade dos templos cristãos, das confeitarias com nomes franceses e dos sobrados imperiais. No leste, ficavam a várzea, as enchentes e os terrenos pestilentos.

As terras altas, a começar pela colina histórica, no centro, perderam destaque e charme há muito tempo. Ficou a pobreza, que transbordou para todos os lados.

Fonte: Arte Cidade

Museu do Ipiranga | MASP | MAM | MUBE | MAC - USP | PinacotecaLargo São Francisco | Largo São Bento | Praça da República | A História da Prefeitura de São Paulo | A Fundação da Cidade de São Paulo | Cronologia dos Acontecimentos | São Paulo Antigamente | Rio tamanduateí Rio Tietê | Rio Pinheiros | Banespinha Barão de Itapetininga | Rua Conselheiro Crispiniano | História - Como se fêz o Viaduto do Chá | História de uma Catedral |Prédio da Light

Veja mais


AddThis Social Bookmark Button