Destaques

Parque do Ibirapuera


96

No início da colonização, a região do Ibirapuera (em tupi-guarani Ypy-ra-ouêra = pau pôdre ou árvore apodrecida), era uma aldeia indígena, que compreendia uma vasta área de terras que iam além do Bairro de Santo Amaro. Com o crescimento da Província, a planície passou a ser uma área de chácaras e pastagens, destinada às boiadas que seguiam para o Matadouro Municipal, localizado no bairro da Vila Mariana, e para os animais que puxavam os carros do Corpo de Bombeiros da cidade, tanto que o local era chamado de Invernada dos Bombeiros. Em 1906, uma lei estadual transferiu a área para o Município de São Paulo.

ib_aeant

No final da década de 20, o Prefeito Pires do Rio decidiu criar um parque dos existentes na Europa, como o Bois de Bologne em Paris, o Central Park em New York, ou o Hyde Park em Londres. Mas como o terreno era alagadiço, um funcionário da prefeitura, Manuel Lopes de Oliveira, conhecido comoManequinho Lopes, iniciou um 1927 o plantiu de centenas de eucaliptos australianos, com a finalidade de drenar o solo e eliminar o excesso de umidade. Também plantou um grande número de espécies ornamentais e exóticas, destinadas a arborizar as ruas e praças da cidade, e cujas mudas também eram distribuídas à população.

Dessa paixão de um modesto e esforçado funcionário da Prefeitura pelas plantas, o que era um charco virou paisagem. Nascia, assim, o embrião do Parque do Ibirapuera, com um raro acervo de árvores e plantas que hoje encantam seus visitantes e frequentadores.

Em 1951, faltando três anos para a comemoração do IV Centenário, da cidade de São Paulo, uma comissão mista, composta por representantes da Prefeitura, do Estado e da iniciativa privada é instituida pelo Govemador Lucas Nogueira Garcez e pelo Prefeito Armando de Arruda Pereira para que o Parque do Ibirapuera se tornasse o marco desta data. Sob o comando de Francisco Matarazzo Sobrinho, o "Cicillo", esta comissão elaborou um programa de prioridades para o Parque. A idéia central que norteava esta obra seria de unir a modernidade urbana através de uma arquitetura arrojada com um projeto paisagístico não menos avançado. Para tanto, o arquiteto Oscar Niemeyer se responsabilizou pelo projeto arquitetônico. Já o projeto paisagístico ficou sob a responsabilidade de Roberto Burle Marx.

Apesar de todos os esforços visando inaugurar o parque em 25 de janeiro de 1954, data do IV Centenário de São Paulo, isto somente viria acontecer em 21 de agosto de 1954 (Aniversário do Parque do Ibirapuera, data em que foi entregue à população). Na ocasião, 13 Estados e 19 países estiveram presentes na festividade montando 640 estandes. Um dos participantes, o Japão, chegou a construir uma réplica do Palácio Katura, com material importado e que é uma das atrações hoje do Parque, hoje chamado de Pavilhão Japonês.

Das construções realizadas naquele período haviam edifícios estilizados, como o Pavilhão do Rio Grande do Sul(ao lado). Dos que sobrevivem até os dias de hoje estão: o "Palácio das Indústrias" (atual sede da Bienale do MAC) - Pavilhão Cicillo Matarazzo construído para apresentar uma visão da indústria paulista. "Palácio das Nações", conhecido atualmente como Pavilhão Manoel de Nóbrega e que foi sede da Prefeitura até 1992, utilizado na inauguração do parque visando reunir as representações dos diversos países. "Palácio das Exposições" - sedes atuais dos Museus da Aeronáutica e Folclore, utilizado no IV Centenário para exposições culturais. "Palácio dos Estados" - atual Pavilhão Armando de Arruda Pereira, sede da PRODAM, local que na época tinha como finalidade abrigar a representação das várias unidades da Federação. "Palácio da Agricultura" - atual sede do DETRAN e que foi construído inicialmente para abrigar a Secretaria da Agricultura. Grande Marquise - local onde está situado o MAM. Isto sem contar com o Ginásio de Esportes, o Velódromo (o primeiro existente no país) e o conjunto de lagos.

Foram ainda construídos especialmente para as comemorações do IV Centenário os Pavilhões Verde e da I Feira Internacional de São Paulo. Outra obra que chegou a ser construída para este evento foi da "Espiral", símbolo do progresso, mas inviabilizada por dificuldades técnicas.

Passados dois anos de sua inauguração os planos do Prefeito Armando de Arruda Pereira de manter o parque como uma área exclusiva ao lazer do paulistano foi desfeita par seu sucessor, Juvenal Lino de Matos, ao transferir para o local, a Prefeitura que permaneceu no local até 1992.


Autor: Wesley Macedo

http://wesleymacedo.wordpress.com/2012/04/04/49/

São Paulo Antigamente | Fundação da Cidade de São Paulo | História de São Paulo | José de Anchieta | Manoel da Nóbrega | Tamanduateí Anhangabaú Largo São Francisco | Paissandú Largo | Praça da Sé |Praça da República | Praça Ramos de Azevedo | Praça Patriarca


AddThis Social Bookmark Button