Democracia - Eleições


Foto: Fausto Ivan
Foto: Fausto Ivan

Em 15 de março de 1974, assume a presidência do Brasil o General Ernesto Geisel. Neste mesmo ano,a inflação chega a 34,5%.

Foto: Fausto Ivan
Foto: Fausto Ivan

Eduardo Suplicy

Eduardo Suplicy / FHC

Olavo Setúbal / Gal. Dilermano Monteiro / Paulo Egídio Martins

Em 20 de janeiro de 1976, assume o comando do segundo Exército o General Dilermano Gomes Monteiro, substituindo o general de linha-dura Eduardo d'Avilla Mello

Olavo Setúbal / Gal. Dilermano Monteiro / Paulo Egídio Martins

Foto: Fausto Ivan

A medida é tomada em conseqüência das mortes do jornalista Vladimir Herzog, em 25 de outubro de 1975 e do operário Manuel Fiel Filho, em 17 de janeiro de 1976, nas dependências do DOI-CODI, órgão de repressão vinculado ao Exército.

Foto: Fausto Ivan

Prevendo uma vitória da oposição nas eleições de 1978, o General Ernesto Geisel fecha o Congresso Nacional por duas semanas e decreta em 1977, o "Pacote de Abril", que altera as regras eleitorais.

Foto: Fausto Ivan

O objetivo é garantir uma maior representação no Congresso pelos estados do norte e nordeste, menos populosos mas controlados pela Arena, partido que dá sustentação ao governo, contrabalançando as bancadas do sul e sudeste, onde a oposição é mais expressiva e o número de eleitores é muito superior.

Foto: Fausto Ivan

O pacote mantém as eleições em diretas para governadores e cria a figura do senador biônico: um em cada três senadores passa a ser eleito indiretamente pelas Assembléias Legislativas de seus estados.

Em 15 de outubro de 1978, o PMDB apresenta seu candidato ao colégio eleitoral, o general Euler Bentes, que recebe 266 votos, contra 355 votos do candidato do governo, João Baptista Figueiredo.

Nas eleições legislativas de 15 de novembro de 1978, a Arena obtém em todo o país 13,1 milhões de votos para o Senado, e 15 milhões para a Câmaral; o MDB tem 17 milhões de votos para o Senado e 14,8 milhões para a Câmara.

Foto: Fausto Ivan

Franco Montoro / André Montoro Filho / Ricardo Montoro

Com o crescimento e avanço da oposição nas eleições de 1978, o processo de abertura política ganha força. Em 15 de março de 1979, João Baptista Figueiredo assume a presidência com a difícil tarefa de garantir a transição do regime militar para a democracia.

FHC / Jorge Cunha Lima / Chopin tavares de Lima

Em 1979, é aprovada a Lei da Anistia que começou na segunda metade da década de 70 reunindo entidades do movimento estudantil e sindical, organizações populares, OAB, ABI e a Igreja.

Foto: Fausto Ivan

Em 22 de novembro, é aprovada a Lei Orgânica dos Partidos, que põe fim à Arene e ao MDB, restabelecendo o pluripartidarismo no país. A partir daí, cresce o movimento para estabelecer eleições diretas para os cargos executivos.

Franco Montoro

Em 13 de novembro de 1980, é restabelecida a eleição direta para governadores e tem fim os senadores biônicos, apenas respeitando os mandatos em curso. No final dos anos 70, a inflação chega a 94,7% ao ano. Em 1980 bate 110% e, em 1983, atinge 200%. O país entra numa fase de recessão que tem como principal consequência o desemprego.

Tancredo Neves

Neste quadro, os alidos do regime militar fundem-se no Partido Democrático Social (PDS) e o MDB torna-se o Partido Democrático Brasileiro (PMDB). O PTB, Partido dos Trabalhadores Brasileiros, ressurge e em 1979 começa a funcionar o Partido dos Trabalhadores (PT), liderado pelo líder metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva.

Tancredo Neves

O Lula desde 1978 liderou as mais importantes greves na região do ABC, São Paulo. A outra parte do movimento trabalhista ficará reunido no PDT (Partido Democrático Trabalhista).

Em 1982, nas eleições para governadores, as oposições somadas obtém 18 milhões de votos, elegendo 12 governadores. Embora perdendo em número de votos, o regime mantém o controle do processo de democratização e articula a sucessão do General João Baptista Figueiredo, que ocorreria em novembro de 1984.

Neste período, em São Paulo e em várias cidades cresce o movimento de pressão no Congresso para aprovação da emenda do deputado Dante de Oliveira, que propõe o estabelecimento das eleições diretas para presidente.

Em apoio à proposta de eleições diretas, grandes manifestações ocorrem em São Paulo, que reúnem 200 mil pessoas em 12 de fevereiro de 1984 e no Rio de Janeiro, onde realizam-se 2 grandes manifestações, a primeira em 21 de março, reunindo 300 mil, e a segunda com um milhão de pessoas.

O movimento se espalha por todo o país, reunindo um grande número de manifestantes e culminando com uma manifestação de 1,7 milhões de pessoas no dia 17 de abril, em São Paulo. Este movimento ficará conhecido como Diretas Já, e tem no deputado Ulysses Guimarães, o "Senhor Diretas", seu mais popular defensor.

No dia 25 de abril de 1985, vai à Plenário a emenda Dante de Oliveira, obtendo 298 votos a favor, 65 contra, 3 abstenções, sendo que 112 parlamentares não comparecem para a votação, faltando 22 votos para a sua aprovação. A partir dessa derrota, inicia-se a campanha para disputa das eleições indiretas.

A oposição , com um forte apoio do deputado Ulysses Guimarães, lança o governador de Minas Gerais Tancredo Neves como candidato, e pelo PDS saí candidato Paulo Maluf. Porém divergências fazem com que parte do PDS se junte ao PMDB, formando o que seria chamado de Aliança Democrática.

Nela encontra-se José Sarney, que rompe com o PDS, filiando-se ao PMDB, e é indicado ao cargo de vice-presidente na chapa de Tancredo Neves. O Partido dos Trabalhadores acusa as eleições indiretas de serem uma farsa e recusa-se a participar.

Tancredo Neves é eleito em 19 de janeiro de 1985, com 485 votos, contra 180 de Paulo Maluf e 25 abstenções. Depois de 21 anos de regime autoritário, é recebida com entusiasmo pela maioria dos brasileiros, a eleição do primeiro civil para o cargo de presidente do Brasil.

Tancredo Neves, na véspera da sua posse, é internado no Hospital de Base, em Brasília, com fortes dores abdominais, e depois de submeter-se a sete cirurgias, morre em 21 de abril, aos 75 anos de idade. Em 22 de abril, José Sarney é investido oficialmente no cargo de presidente.

Lula

Fernando Collor

Lula

Luíza Erundina

Museu do Ipiranga | MASP | MAM | MUBE | MAC - USP | PinacotecaLargo São Francisco | Largo São Bento | Praça da República | A História da Prefeitura de São Paulo | A Fundação da Cidade de São Paulo | Cronologia dos Acontecimentos | São Paulo Antigamente | Rio tamanduateí Rio Tietê | Rio Pinheiros | Banespinha Barão de Itapetininga | Rua Conselheiro Crispiniano | História - Como se fêz o Viaduto do Chá | História de umaCatedral |Prédio da Light

Veja mais

AddThis Social Bookmark Button

Destaques